Uma lição de vida e solidariedade

A aposentada Maria Leda Pereira de Souza, 62 anos que trabalhou por 23 anos na creche da Santa Casa de Campo Grande, é daquela mulher que luta e jamais perde a esperança para dias melhores. Com a guarda provisória dos quatro netos, ela orienta e mostra o caminho do bem para eles, já que como ela mesmo diz, “infelizmente”, sua filha, mãe das crianças quis seguir um outro caminho e hoje sofre com as consequências.

Dona Maria Leda colocou os netos Ruan (10), Raiane (8) e Richard (7) para participar do projeto patrocinado pela Petrobras e realizado pelo Instituto Maná do Céu, “Velozes do Amanhã”, no polo 2 – no bairro José Abrão e disse que foi uma das melhores coisas que fez. Hoje as crianças estão com um melhor comportamento e ficam esperando chegar os dias do projeto (segunda, quarta e sexta-feira) para participarem das práticas esportivas orientadas pelos professores da ong. Apenas a pequena Rafaela de 4 anos que ainda não participa devido a idade.

”Eu nasci em Paulista Nova, interior de São Paulo e logo vim para o Mato Grosso do Sul. Morei na roça e casei. Meu marido morreu em um acidente e após 7 anos tive um outro companheiro que no ano passado também faleceu. Tive seis filhos e três morreram devido uma doença degenerativa. A mãe das crianças seguiu um lado que sempre alertei, e sabendo disso, resolvi pedir a guarda provisória das crianças, justamente porque ela não estava ligando para elas. Hoje faço o papel de avó, avô, mãe e pai. Procuro estar presente na vida deles e mostro que a educação é o melhor caminho para as pessoas”, comenta Dona Maria Leda.

EDUCAÇÃO

Uma das questões que essa verdadeira guerreira faz questão de apontar, é que a educação desde o início, é o pilar principal para uma vida melhor. “Sem estudo não somos absolutamente nada. Eu faço o que posso para ajudar essas crianças, pois elas não têm culpa do que a mãe e o pai se transformaram. Em casa eu exijo muito delas, que elas façam as tarefas da escola, cumpram seus deveres e sejam educados com as pessoas. O projeto Velozes do Amanhã também tem uma grande contribuição para a transformação deles, pois lá eles ocupam a cabeça com boas coisas”.

Sendo maio, Mês das Mães”, dona Maria Leda disse que acha que não existe um momento especial para ser comemorado. Acredita que ser mãe, é algo de todos os dias e a responsabilidade cresce na medida em que as crianças crescem e se tornam adolescentes. “Mesmo com todas as dificuldades, eu procuro dar o melhor para elas. Levo ã igreja sempre nos sábados e também estou estabelecendo os horários em casa. Estou fazendo minha parte, de mãe e avó, e isso me deixa satisfeita e feliz”.