Capacitação para profissionais do esporte – 2ª Edição

2ª Edição da Capacitação para Profissionais do Esporte Educacional será realizado em novembro, em Campo Grande.

O curso será oferecido gratuitamente pelo Instituto Maná do Céu para os Povos em parceria com a Petrobras, e é um desdobramento do Premio Nacional de Esporte Educacional oferecido pela Petrobras por meio do Projeto Velozes do Amanhã, que foi considerado a segunda melhor tecnologia social do esporte educacional do país.

A primeira etapa desta segunda edição acontecerá nos dias 27 e 28 de novembro de 2015, das 08 às 17 horas, na Unigran de Campo Grande, na Rua Abrão Júlio Rahe, 325, Centro e será ministrado por Rodrigo Paiva, do Instituto Esporte Educação de São Paulo. Ele é professor de educação física, mestre em psicologia e doutorando em Ciências Sociais pela PUC de São Paulo.  Rodrigo abordará sobre os princípios e estratégias para o ensino do esporte educacional.

A segunda etapa ocorrerá nos dias 18 e 19 de novembro de 2015, no mesmo endereço e horário da primeira etapa e contará com a ministração do professor de educação física Celso Arantes, especialista em fisiologia do exercício e prescrição do exercício, e abordará o tema Iniciação e práticas pedagógicas do atletismo. E também com a ministração de Ana Lúcia da Silva Sena, pedagoga, especialista em educação e mestre em Ciências Sociais pela PUC de São Paulo.

O objetivo é disseminar a tecnologia social do Projeto Velozes do Amanhã e capacitar educadores e profissionais da área do esporte educacional para uma prática pedagógica libertária, que promova e desenvolva o protagonismo, a autonomia, o cooperativismo e a liderança dos participantes, por meio da metodologia do esporte educacional.

O público alvo esperado é professores, educadores e gestores do esporte educacional de Mato Grosso do Sul.

As inscrições são gratuitas e poderão ser realizadas pela internet no site: www.manadoceu.org.br

Serão selecionadas pessoas que preferencialmente trabalhem com esporte educacional, em instituições não governamentais, tanto do interior do estado quanto da capital, representantes de comunidades indígenas, negras e quilombolas e mulheres. Para isto, o currículo dos interessados será analisado.

Outras informações poderão ser adquiridas pelo telefone 3355-5555. As vagas são limitadas.

 

Guardiões dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio – ODM/MS

O procurador da OSCIP (Organização da Sociedade Civil de Interesse Público), Maná do Céu para os Povos, Ivan Lúcio Rodrigues disse na noite de ontem (1), na solenidade de entrega do título de Guardiões dos ODM (Objetivos de Desenvolvimento do Milênio) onde nossa instituição é âncora do núcleo ODM-MS, através do PNUD (Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento), que se sentiu honrado em representar a sociedade civil organizada no evento, bem como fazer parte da instituição qualificada como âncora para receber subvenção do Movimento Nacional pela Cidadania e Solidariedade para execução das ações do núcleo ODM do Mato Grosso do Sul, por acreditar no programa das nações unidas para o desenvolvimento – PNUD.

“Só de pensar que antes de fundar o Instituto Maná do Céu para os Povos há 6 anos, nós queríamos era simplesmente ajudar algumas pessoas a se alimentar através de um sopão, que eu, minha família e amigos oferecíamos aos vulneráveis de um bairro da periferia na região do prosa aqui da cidade de Campo Grande aos sábados no horário do almoço.  Não imaginávamos na época que o nosso desejo de acabar com a fome e com a miséria de algumas pessoas,  tratava-se da meta 1  dentre as Oito do Milênio que foram estabelecidas pela ONU (Organização das Nações Unidas) em 2000, com o apoio de 191 nações e que ficaram conhecidas como Objetivos de Desenvolvimento do Milênio”, afirmou o procurador.

O título foi entregue para pessoas que contribuíram para 8 metas do milênio durante a sua vida, que são: I) Acabar com a fome e a miséria; II) Oferecer educação básica de qualidade para todos; III) Promover a igualdade entre os sexos e a autonomia das mulheres; IV) Reduzir a mortalidade infantil; V) Melhorar a saúde das gestantes; VI) Combater a Aids, a malária e outras doenças; VII) Garantir qualidade de vida e respeito ao meio ambiente; VIII) Estabelecer parcerias para o desenvolvimento.

A solenidade contou com representantes do PNUD/ONU, da Secretaria Geral da Presidência da República, do Governo do Estado de Mato Grosso do Sul e demais autoridades civis, militares e eclesiásticas. Foram homenageados: Aparecida Gonçalves, Emmanuel Marinho, Jaceguara Dantas da Silva Passos, Nilton Braz Giraldelli, Maria de Lourdes Souza Cano, Ricardo Ferreira Nantes, Odilon de Oliveira, Sérgio Harfouche e Ueze Elias Zahran.

12 de junho, dia Mundial contra o Trabalho Infantil

O dia 12 de junho, dia Mundial contra o Trabalho Infantil, foi instituído pela Organização Internacional do Trabalho (OIT) em 2002, data da apresentação do primeiro relatório global sobre o trabalho infantil na Conferência Anual do Trabalho. Desde 2002, a OIT convoca a sociedade, os trabalhadores, os empregadores e os governos do mundo todo a se mobilizarem contra o trabalho infantil. Anualmente, para marcar a data, é proposto um tema sobre uma das formas de trabalho infantil e realiza-se uma campanha de sensibilização e mobilização da população em geral. No Brasil, o 12 de junho foi instituído como Dia Nacional de Combate ao Trabalho Infantil pela Lei Nº 11.542/2007. As mobilizações e campanhas anuais são coordenadas pelo Fórum Nacional em parceria com os Fóruns Estaduais de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil e suas entidades membros. Nesse 12 de junho de 2015, a campanha tem como tema “Não ao Trabalho Infantil e Sim à Educação de Qualidade” e como símbolo o cata-vento. O cata-vento de cinco pontas coloridas (azul, vermelha, verde, amarela e laranja) é o ícone da luta contra o trabalho infantil no Brasil e no mundo. Este símbolo tem um sentido lúdico e expressa a alegria que deve estar presente na vida das crianças e adolescentes. Representa ainda movimento, sinergia e a realização de ações permanentes para a prevenção e a erradicação do trabalho infantil.

Via: FNPTEI

Uma lição de vida e solidariedade

A aposentada Maria Leda Pereira de Souza, 62 anos que trabalhou por 23 anos na creche da Santa Casa de Campo Grande, é daquela mulher que luta e jamais perde a esperança para dias melhores. Com a guarda provisória dos quatro netos, ela orienta e mostra o caminho do bem para eles, já que como ela mesmo diz, “infelizmente”, sua filha, mãe das crianças quis seguir um outro caminho e hoje sofre com as consequências.

Dona Maria Leda colocou os netos Ruan (10), Raiane (8) e Richard (7) para participar do projeto patrocinado pela Petrobras e realizado pelo Instituto Maná do Céu, “Velozes do Amanhã”, no polo 2 – no bairro José Abrão e disse que foi uma das melhores coisas que fez. Hoje as crianças estão com um melhor comportamento e ficam esperando chegar os dias do projeto (segunda, quarta e sexta-feira) para participarem das práticas esportivas orientadas pelos professores da ong. Apenas a pequena Rafaela de 4 anos que ainda não participa devido a idade.

”Eu nasci em Paulista Nova, interior de São Paulo e logo vim para o Mato Grosso do Sul. Morei na roça e casei. Meu marido morreu em um acidente e após 7 anos tive um outro companheiro que no ano passado também faleceu. Tive seis filhos e três morreram devido uma doença degenerativa. A mãe das crianças seguiu um lado que sempre alertei, e sabendo disso, resolvi pedir a guarda provisória das crianças, justamente porque ela não estava ligando para elas. Hoje faço o papel de avó, avô, mãe e pai. Procuro estar presente na vida deles e mostro que a educação é o melhor caminho para as pessoas”, comenta Dona Maria Leda.

EDUCAÇÃO

Uma das questões que essa verdadeira guerreira faz questão de apontar, é que a educação desde o início, é o pilar principal para uma vida melhor. “Sem estudo não somos absolutamente nada. Eu faço o que posso para ajudar essas crianças, pois elas não têm culpa do que a mãe e o pai se transformaram. Em casa eu exijo muito delas, que elas façam as tarefas da escola, cumpram seus deveres e sejam educados com as pessoas. O projeto Velozes do Amanhã também tem uma grande contribuição para a transformação deles, pois lá eles ocupam a cabeça com boas coisas”.

Sendo maio, Mês das Mães”, dona Maria Leda disse que acha que não existe um momento especial para ser comemorado. Acredita que ser mãe, é algo de todos os dias e a responsabilidade cresce na medida em que as crianças crescem e se tornam adolescentes. “Mesmo com todas as dificuldades, eu procuro dar o melhor para elas. Levo ã igreja sempre nos sábados e também estou estabelecendo os horários em casa. Estou fazendo minha parte, de mãe e avó, e isso me deixa satisfeita e feliz”.

Natação – Saúde e acesso fácil ao esporte

Por movimentar praticamente todos os músculos e articulares do corpo, a prática da natação é considerada um dos melhores exercícios físicos existentes trazendo ótimos benefícios para o organismo e a saúde, ajudando a melhorar a coordenação motora, além de ser recomentada para pessoas com problemas respiratórios, como asma e bronquite. Também é a única atividade indicada para a partir dos seis meses de idade.

Pensando nestes benefícios, o Instituto Maná do Céu para os Povos, incluiu nas atividades do projeto patrocinado pela Petrobras “Velozes do Amanhã”, a modalidade de natação desde o ano passado para as crianças e adolescentes. Anteriormente as aulas eram ministradas no período da tarde na Escola Alceu Viana, onde a ong tinha parceria. Com a necessidade de abrir outras turmas e turno, o procurador Ivan Rodrigues conseguiu construir a própria piscina na sede.

Conforme o professor de natação, Fernando Quadros (26), hoje a ong atende aproximadamente 60 crianças, e a maioria delas nunca teve a oportunidade de entrar em uma piscina. Essa forma de proporcionar a prática da natação como forma pedagógica e principalmente a questão da saúde. Para ele, a segurança também é fundamental.

ÁGUA E A IMPORTÂCIA

“O meio líquido sempre atrai as crianças. Nós viemos do líquido !. Eu como responsável pela natação na ong, privo o trabalho na parte da segurança, pois a respiração é fundamental. Muitos pais afirmam que após as aulas de natação, problemas de tinham com asma e até mesmo bronquite, praticamente desapareceram. Eu acho isso até natural, pois a natação é indicada para melhoramento da saúde em todos os sentidos”, disse o professor.

O professor Fernando salientou ainda que a natação sempre foi um esporte de elite, no entanto, a ong está dando essa oportunidade para as pessoas de baixa renda e contribuindo com seu cunho social. “As aulas ocorrem na terça e quinta-feira, e sempre alertamos as crianças que a participação efetiva nas aulas teóricas é de fundamental importância para que elas possas participar das práticas”.

Finalizando, Fernando fez questão de alertar que muitos pais devem estar atentos para a “depressão infantil” que está atingindo um percentual alto. Para ele, a prática da natação faz com que as energias se dissipem e a criança saí renovada. “É um benefício enorme que a água faz e por isso os pais devem sempre apoiar essa prática para seus filhos”.

Maná do Céu promove curso para profissionais do esporte.

Acontece nesta quarta-feira (28), a partir das 8 horas, no Sesc Camillo Boni, em Campo Grande, a continuidade do curso de Capacitação para Profissionais do Esporte Educacional. O evento é promovido pelo Instituto Maná do Céu Para os Povos, através do projeto “Velozes do Amanhã”, que é patrocinado pela Petrobras.

A primeira etapa contou com a participação da ex-jogadora de vôlei da seleção brasileira, Ana Moser, acompanhada de profissionais do seu instituto. A segunda etapa, nesta quarta-feira terá a participação de Celso Arantes, especialista em Fisiologia do exercício, e coordenador técnico de atletismo do “Velozes do Amanhã”. O tema abordado por Arantes será: “Princípios e Práticas Pedagógicas do Atletismo para o Esporte Educacional”.

Na quinta-feira (29), a professora mestre e coordenadora do projeto “Velozes do Amanhã”, Ana Sena abordará o seguinte tema: Esporte e Cidadania – Diversidade Étnica e Racial na Prática Pedagógica Educacional. Todas as palestras são direcionadas para professores, educadores e gestores do esporte educacional de Mato Grosso do Sul. O Sesc Camillo Boni fica localizado na avenida Afonso Pena, 3469 – Jardim dos Estados.

Prêmio Petrobras de Esporte Educacional.

O Prêmio Petrobras de Esporte Educacional finalizou mais uma importante etapa. Foram recebidas, de novembro de 2013 a março de 2014, mais de 1300 inscrições vindas de todas as regiões do país! Todos os participantes são grandes vencedores e por isso agradecemos a todos aqueles que acreditaram no Prêmio e inscreveram suas experiências.

A partir de uma criteriosa etapa de avaliações, foram selecionadas por uma renomada comissão avaliadora as tecnologias sociais de esporte educacional mais exitosas nas categorias Terceiro Setor, Escolas Públicas e Universidades.

O evento de Premiação aconteceu no último dia 15 de Abril, no Rio de Janeiro, e reuniu convidados de diversas áreas, como autoridades governamentais, organizações da sociedade civil, atletas e, é claro, os finalistas.

Aqui apresentamos os vencedores de cada categoria. Conheça!

Categoria TERCEIRO SETOR

1° lugar

Futebol de Rua: uma nova visão do jogo
Gerson Guimarães
Fundação Esportiva Educacional Pró Criança e Adolescente

Um jogo de futebol onde a atitude em campo vale mais que bolas na rede. Essa é a metodologia aplicada pela Fundação Esportiva Educacional Pró Criança e Adolescente no projeto ‘Futebol de Rua: uma nova visão do jogo’, no município de Santana do Parnaíba, em São Paulo. Nos jogos, que não contam com a presença de árbitros, o diálogo é essencial entre os participantes para que se criem novas regras e adaptações de acordo com a realidade de cada partida. As diretrizes criadas pelo grupo fortalecem o sentido de corresponsabilidade e  autônoma, pois os próprios jogadores conduzem as regras.

2° lugar

Projeto Velozes do Amanhã
Ana Lúcia da Silva Sena
Instituto de Desenvolvimento Humano, Social, Econômico e Cultural Maná do Céu para os Povos

Mesmo no país do futebol é o atletismo que rouba a cena em Campo Grande, no Mato Grosso do Sul. Numa região cercada por diversas aldeias indígenas e contemplada com diferenças étnicas muito fortes, 200 crianças e jovens participam do projeto Velozes do Amanhã. A experiência  proporciona aos participantes conhecer as regiões do entorno e trabalhar com esporte, história e cultura, tendo como base o atletismo. Com essa modalidade esportiva é possível abordar questões como respeito às diferenças, disciplina, cooperação e participação.

3° lugar

Handebol em Cadeira de Rodas na Escola
Mariana Piculli
Associação Brasileira de Handebol em Cadeira de Rodas

A experiência “Handball em Cadeira de Rodas na Escola”, desenvolvida  no município de Toledo, no Paraná utiliza-se da inclusão invertida para que crianças com  deficiência ou não, pratiquem esportes juntas. Todos os alunos utilizam as cadeiras de rodas durante o jogo, oportunizando um momento de troca de experiências, autonomia e reflexão sobre garantia de direitos e respeito às diferenças.

Categoria ESCOLAS PÚBLICAS

1° lugar

Ping Pong na Quadra
Cícera Andréia de Souza

Escola Básica Estadual Paulo Devanier Lauda

Que tal tornar o tênis um esporte acessível para todas as pessoas e classes sociais? Foi pensando nisso que a Escola Básica Estadual Paulo Devanier Lauda, em Santa Maria, no Rio Grande do Sul, misturou o ping pong com tênis tradicional, dando origem ao “Ping Pong na Quadra”. A nova prática esportiva se adapta a qualquer espaço, necessitando de pouco dinheiro e materiais simples como fitas coloridas, cordas e cones. “Ping Pong na Quadra” contribui para que os jovens possam experimentar as diversas possibilidades da prática de jogos a partir da criatividade e adaptação de regras.

2° lugar

Cadeirabol, uma experiência divertida
Danilo César Trindade Pereira
Escola Municipal Frei Rogato

Na Escola Municipal Frei Rogato, em Betim, Minas Gerais, a simples ideia de colocar algumas cadeiras dentro da quadra e iniciar um jogo de voleiball sentado possibilitou a  a participação de uma aluna cadeirante, além de estimular a discussão sobre inclusão, cidadania e respeito as diferenças de forma divertida.  Tal iniciativa fez com que as aulas de educação física se tornassem  mais criativas e  inovadoras.

3° lugar

Das escolas da ginástica a ginástica alegria na escola
Josiane Cristina Climaco
Colégio Estadual Marcilio Dias

Utilizar a ginástica nas aulas de Educação Física,  incluindo movimentos de danças africanas e de capoeira, é a estratégia utilizada pelo Colégio Estadual Marcilio Dias, em Salvador, na Bahia para fortalece a identidade e a autoestima da comunidade escolar, na qual amaioria dos alunos são remanescentes quilombolas.  A experiência “Das Escolas da Ginástica a Ginástica Alegria na Escola” valoriza as produções coreográficas dos estudantes, e a cultura popular, assumindo papel social importante para comunidade.

Categoria UNIVERSIDADES

1° lugar

Perspectivas do esporte educacional pela pedagogia de projetos: diálogos pedagógicos
Cristiano Marcelo Moura
Faculdade de Pindamonhangaba

Pouco populares no Brasil, o golfe e o tamboréu foram objeto de pesquisa da Faculdade de Pindamonhangaba e de uma escola pública de Taubaté, em SP. Juntas, as instituições estudaram as modalidades e construíram materiais e espaços adaptados para os jogos, utilizando os esportes como ferramenta no processo de ensino-aprendizagem dos alunos.

2° lugar

Festival Escolar de Mini Atletismo
Marcos Paulo Huber
Associação Desportiva Recreativa de Atletismo

Esporte individual? Nada disso. Em parceria com poder público, estudantes da Universidade do Sul de Santa Catarina movimentaram 15 escolas municipais da região para o ‘Festival Escolar de Mini Atletismo’. As provas tiveram três elementos: materiais recicláveis, criatividade e inovação. A experiência usa o atletismo, modalidade esportiva baseada originalmente no desempenho individual, para o alcance de resultados coletivos através da adaptação de regras e espaços.

 

3° lugar

Nosso Caderno de Jogos e Brincadeiras
Leonardo Toledo Silva
Instituto Brasil Igualdade Social (IBIS)

Um caderno, alunos e seus familiares e responsáveis. Foi dessa forma que o Instituto Brasil Igualdade Social, em MG, estimulou a aproximação de pais e filhos, através do esporte. Enquanto utilizavam a criatividade para adaptar, de forma simples, brincadeiras tradicionais em esportes dos dias de hoje, a família se reunia, trocava experiências e ainda praticava atividade física de forma divertida.

PREMIAÇÃO ESPECIAL

Vivências lúdicas no esporte
Nilce Cleide Ribeiro Pantoja

Escola Estadual Altair Severiano Nunes

A Escola Estadual Altair Severiano Nunes, em Manaus, apostou no uso de brincadeiras tradicionais para explorar o hábito de brincar como ferramenta para o esporte educacional.  Tais atividades potencializaram o trabalho pedagógico dos professores em sala de aula, dando maior autonomia aos alunos, que se tornaram coautores do processo ensino-aprendizagem.

Via site Prêmio Petrobras